FIBE leva à Universidade de Coimbra o Fórum Independência com Integração

Os debates ocorreram no Anfiteatro do Laboratório Chímico e na ocasião foi assinado protocolo para o estabelecimento de cooperação entre as duas organizações

A consagrada Universidade de Coimbra recepcionou o quarto dia de debates do Fórum
Independência com Integração, uma iniciativa do FIBE durante a semana que marca
as celebrações do Bicentenário da Independência do Brasil.


Partindo do tema “Construção do Estado e Constituições”, o ministro do Supremo
Tribunal Federal (STF) e presidente do Conselho Consultivo do FIBE Gilmar Mendes,
conduziu a mediação das exposições da ministra Cármen Lúcia, do STF e de Rui
Manuel de Figueiredo Marcos, professor Catedrático da Universidade de Coimbra (UC).

O presidente do Conselho de Administração do Banco Nacional de Desenvolvimento
Econômico Social (BNDES), Walter Baère de Araújo Filho, esteve à frente da
moderação durante o debate “Futuros da economia”, que contou ainda com as
participações de Esmeralda Dourado, empresária e conselheira do FIBE, Mário Vilalva,
do ex-embaixador do Brasil em Portugal e de Pedro Rebelo de Sousa, advogado e
presidente do CG do Instituto Português de Corporate Governance (IPCG).

A ocasião marcou ainda a assinatura de um protocolo entre o FIBE e a Universidade
de Coimbra que estabelece a cooperação acadêmica, científica, social, econômica e
cultural, permitindo desta forma a organização de iniciativas a exemplo de
congressos, debates ou webinares.

O reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão Ramos Ferreira, realizou os
agradecimentos finais, seguido pela música de Moacir Bedê e da voz de Karla Silva,
que também foi a apresentadora do evento em Coimbra.

Para o vice-reitor da UC para as Relações Internacionais, João Nuno Calvão Silva, a
celebração do protocolo representa “mais um passo para intensificar a relação
histórica entre os dois Estados e os dois povos irmãos”, comentou.

Nós (FIBE) somos uma nova instituição, mas de fato sentimos que estamos a crescer muito rapidamente e um dos motivos tem sido a grande recepetividade que temos encontrado, designadamente de instituições como a Universidade de Coimbra


Vitalino Canas, presidente do FIBE